Sim, Sr Presidente

Sim, somos pequenos mas somos contra a guerra. Sim, somos pequenos mas somos contra o genocídio. Sim, somos pequenos mas somos contra a violação de mulheres desesperadamente em fuga com seus filhos pela mão, as execuções sumárias, a destruição pela destruição. Sim, faremos o que está ao nosso alcance como país de média dimensão europeia e pequena dimensão mundial…

Lamentavelmente outros países de grande dimensão mundial, por exemplo o Brasil[1], são pela guerra, pela destruição, pelo genocídio. Mas não é apenas o Brasil que nos envergonha, a nós Portugal, de termos sido a origem da sua existência. Também países como Angola e Moçambique estão ao lado da barbárie e tal deve fazer-nos refletir. Entretanto, sendo nós pequenos em território e população, mostramos que somos grandes em valores fundamentais como por exemplo o respeito pela vida, o respeito pela autodeterminação dos povos, o respeito pelo exercício da dignidade enquanto seres humanos.


FIG — Presidente Zelensky discursa na Assemblia da República Portuguesa.

Cá por casa, felizmente a execrável atitude do Partido Comunista Português (PCP) é apenas apoiada por uma muito pequena percentagem de portugueses. O PCP de hoje não passa de um clube de pobres mentes que pararam algures no tempo, talvez ali pelo século XIX, que ainda recorrem a ideias e palavras obsoletas e se mantêm orgulhosamente sós na defesa das mesmas. Não, os portugueses até podem ter muitos defeitos mas este demonstrado pelo PCP não nos assiste. Definitivamente, não! Mesmo vendo que são as novas gerações[2] desse retrógrado e caduco partido a defender um decadente e moribundo comunismo e a apoiar regimes neo-fascistas violentos[3], os portugueses não são assim. Os portugueses são na sua essência amantes da paz, da segurança social e opositores da violência. E não acredito que os velhotes que ainda votam neste PCP de hoje simpatizem tanto assim com a execrável figura de Vladimir Putin e suas damas de companhia…

Sim, sr presidente Volodymyr Zelensky, os portugueses torcem para que a Ucrânia saia vencedora e o pouco que fazem, fazem-no com convicção. Para os portugueses está por demais claro que a Rússia é a agressora e a Ucrânia é a agredida…

  1. O presidente Jair Bolsonaro viajou até à Rússia para manifestar a sua solidariedade a Putin e sua guerra contra a Ucrânia.
  2. A náusea que sinto a ouvir os delirantes devaneios de Paula Santos, atual líder parlamentar do PCP, consegue superar largamente a que sinto ao ouvir Inês de Sousa Real, líder do PAN
  3. Com Putin, a Rússia passou a financiar vários movimentos/partidos populistas e de cariz fascista na Europa e nos EUA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.