Luís Vaz de Camões

Luís de Camões (1524-1580) foi um poeta português. Autor do poema “Os Lusíadas”, uma das obras mais importantes da literatura portuguesa, que celebra os feitos marítimos e guerreiros de Portugal. É o maior representante do Classicismo Português.

Amor é…

Em Português

Amor é um fogo que arde sem se ver,
é ferida que doi, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

In English

Love is a fire that burns unseen,
a wound that aches yet isn’t felt,
an always discontent contentment,
a pain that rages without hurting,

a longing for nothing but to long,
a loneliness in the midst of people,
a never feeling pleased when pleased,
a passion that gains when lost in thought.

It’s being enslaved of your own free will;
it’s counting your defeat a victory;
it’s staying loyal to your killer.

But if it’s so self-contradictory,
how can Love, when Love chooses,
bring human hearts into sympathy?

© 1598, Luís Vaz de Camões
From: Rimas
Publisher: Almedina, Coímbra, 1994
ISBN: 972-40-0775-8
© Translation: 2006, Richard Zenith

Alma minha gentil…

Em Português

Alma minha gentil, que te partiste
tão cedo desta vida descontente,
repousa lá no Céu eternamente,
e viva eu cá na terra sempre triste.

Se lá no assento etéreo, onde subiste,
memória desta vida se consente,
não te esqueças daquele amor ardente
que já nos olhos meus tão puro viste.

E se vires que pode merecer-te
algũa cousa a dor que me ficou
da mágoa, sem remédio, de perder-te,

roga a Deus, que teus anos encurtou,
que tão cedo de cá me leve a ver-te,
quão cedo de meus olhos te levou.

In English

Dear gentle soul, you that departed
this life so soon and reluctantly,
rest in heaven eternally
while I remain here, broken-hearted.

If there in the ethereal skies
memories are still allowed to move,
do not forget that ardent love
you once saw shining in my eyes.

And if you judge there might be merit,
however small, in this pain that stays,
grieving with nothing to repair it,

petition God, who cut short your days,
to take me to you, in that reckless spirit
he used to summon you from my gaze.

© 1595, Luís Vaz de Camões
From: Rimas
Publisher: Almedina, Coímbra, 1994
ISBN: 972-40-0775-8
© Translation: 2006, Landeg White

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.