Resoluções de Ano Novo

Música (a ouvir durante a leitura):

Agora que terminou o 1º mês do ano, venho confessar que, pela primeira vez, não quis celebrar o Reveillon[1]! Geralmente, vemos o Ano Novo como um novo começo, em que é suposto começar “do zero” e fazer tábua-rasa do ano anterior. Diz-me que temos “365 novas oportunidades” para a mudança. Para sermos melhores pessoas. Para acabar com velhos e maus hábitos. Para dizermos às pessoas o quanto as amamos. Para ir ao ginásio. Para ultrapassar uma desilusão amorosa.

Com estas expectativas e motivação redobrada, surgem as famosas resoluções do ano novo. Isto é algo stressante e coloca-nos alguma pressão para resolver as pontas soltas. Mas, por outro lado, parece que está cada vez mais na moda, como outras coisas stressantes da sociedade moderna.

Eu, por outro lado, não vejo este novo ano como um novo começo. Na verdade, quero que seja um ano de continuidade, pois as mudanças desejadas começaram já a acontecer e não me apetece mesmo nada começar do zero e tornar-me nova pessoa – não devia ser necessário um “Ano Novo” para percebermos as mudanças que precisamos de operar na nossa vida ou em nós. Concordo que devemos ver sempre novas oportunidade, mas não é necessário um novo ano.

Portanto, cumprindo a tradição das resoluções e desejos, o que desejo é que 2020 seja um ano de continuidade de coisas boas, de pessoas boas, de gratidão, de concretização de objetivos (antigos, se for caso disso). Devemos todos os dias dar valor ao que temos e às pessoas que nos rodeiam; devemos todos os dias cuidar de nós.

Para finalizar, uma sugestão: lê as resoluções do teu ano anterior – quantas cumpriste? Vai ser este ano?

  1. Véspera de ano-novo, em Português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.