Filho de peixe…

Filho de peixe sabe nadar…

É assim, eu até gosto de peixe mas esta questão é filosófica demais para nos ficarmos por essa banalidade de gostar ou não. O verdadeiro assunto é este: peixe congelado é assim tão mau?


Sobre a resiliência…

Este desgraçado robalo foi comprado fresco. Mas tive de o congelar. E hoje descongelei o pobre infeliz. E cortei-o a em postas tão igualitárias quanto possível. E cozinhei-o.

E ainda estou vivo. Se amanhã não estiver, então o coitado do robalo vingou-se, no primeiro que lhe apareceu, pelo facto de ter caído nas redes de alguém. E esse primeiro fui eu. Que o acompanhei com batatinha cozida, cenoura, penca (couve portuguesa ou tronchuda) e quinoa. E não é que gosto de quinoa? Gosto.

Tudo isto me faz lembrar uma história que eu frequentemente contava aos meus putos: “O robalo e a quinoa foram os dois passear. O robalo deu um pu e a quinoa foi ao ar.”.

É para isto que serve o Facebook, para atirarmos ao mundo pensamentos profundos com o intuito de contribuirmos para a evolução da humanidade.

Bem haja…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.