Eu Imortal

Surfando por aí, dei de caras com esta russa (habitante da Rússia) que quase, quase, é tão boa como o original. E ouvi-la a interpretar Sleeping Sun da fabulosa nórdica de seu nome artístico Tarja, é também saboroso…

Enfim, um flashback a tempos idos neste final de ano que é apenas isso, mais um final de ano. E o próximo será melhor, assim o espero. Muito melhor de tal modo que

“These wounds won’t seem to heal, this pain is just too real
There’s just too much that time cannot erase.”

não se aplique…

Um 2019 cheio de tudo o que quiserem que aconteça…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.