E os Ucranianos? Hem?

Sim, no meio deste show-off todo, quem é que realmente está preocupado com os ucranianos? Coitados, foram apanhados no meio de polvos e tubarões e só prevejo um destino para esse pobre país: vão ser comidos! Não consigo ver os USA, a Rússia ou a sempre atabalhoada União Europeia muito preocupados com esse pobre país que, de repente e sem saber ler nem escrever, virou unha encravada num mundo que, todos sabemos, pode ser muito cruel…

A Ucrânia é um país pobre (ou um pobre país) que nasceu da explosão da malograda União Soviética, um parto suficientemente complicado que tornou todos os recém-nascidos em casos social, económica e politicamente de solução bem difícil. A Ucrânia não interessa a ninguém, nem mesmo aos próprios ucranianos já que uma grande parte destes prefeririam que o seu país fosse território da Rússia. Assim, fica complicado! Tão complicado que virou guerra civil (desde 2014) entre a fação que pretende manter-se independente e a fação que há muito luta para converter a Ucrânia em mais uma região russa.

Enquanto que a Rússia apenas mostrou as garras por se sentir ameaçada com a eventual (não provada) adesão da Ucrânia à NATO e adesão (pouco provável) à União Europeia, os USA começaram a levantar cabelo porque, como habitualmente, não pretendem perder terreno nesta sua convicção de que a Europa só está segura sob a sua asa protetora. Por seu lado, a União Europeia, no seu modo sempre desajeitado de fazer política externa, mostra uma vez mais que na UE somos apenas um clube económico onde os grandes comem os pequenos e pouco mais. No fundo, no fundo, mas não tanto no fundo como isso, todos têm um mesmo objetivo: alimentar as suas sempre esfomeadas indústrias, nas quais se inclui obviamente a dinossaurica indústria de armamento e outros materiais bélicos. Exato, a indústria do armamento é que nem o famoso T-Rex, um feroz predador sempre à espreita de carne fresca assim tipo a Ucrânia. E não estou a falar apenas dos USA…

E então qual é o prognóstico? A Rússia invade ou não invade? Sei lá, nunca me pareceu que as atitudes dos humanos nestes jogos de guerra fossem muito racionais, muito menos lógicas e menos ainda previsíveis. Estou em crer que o principal problema da Rússia são os russos! Convenhamos que um povo que mantém no poder um carniceiro como Vladimir Putin (presidente desde 2012) e que teve figuras presidenciais igualmente tenebrosas como Joseph Stalin ou Leonid Brezhnev, óbvio fã do criminoso Estaline, só pode mesmo ser um grande problema para a humanidade. Estou em crer que cada povo merece os regimes políticos em que vive e os presidentes que mantem pelo que na Rússia, Putin é o povo e o povo é Putin. Infelizmente…

Quanto aos ucranianos… Que os deuses os protejam mas vai ser preciso que todos os deuses, mesmo todos, consigam se reunir no olimpo e obter uma plataforma de entendimento, no sentido de salvar aqueles coitados seres que tiveram o azar de ficarem encravados naquela zona fronteiriça problemática, com vizinhos tão “queridos e fofos” como a Bielorrússia. Quanto a nós, esta União Europeia que sempre joga estes jogos a fazer de bobo da corte, preparemo-nos para uma enxurrada de refugiados ucranianos caso a Rússia avance. Neste caso, estaremos com certeza perante um jogo de guerra em que só haverá perdedores…

Ut Ucraina superesse…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.