Mar Negro

Foi em 17 de fevereiro de 2015 que publiquei pela primeira vez um artigo contendo este pequeno video-clip, nessa altura já em resposta a esse modismo irritante (como são todos os modismos) que é a sempre cinematográfica defesa deste planeta A para o qual, descobriram agora, não existe nem sobressalentes nem um planeta B… Quando publiquei este artigo, este blog era escrito em inglês pelo

A Arte de Bem Fazer Parecer

Nada como uma pandemia para impedir que nos esqueçamos como realmente somos. Não porque queiramos que alguém nos recorde do que somos feitos mas porque aparentar é a palavra de ordem da era moderna. Ora pois, as aparências iludem mesmo e por isso, nos tempos que correm, já ninguém quer assistir a degradantes shows sobre a real condição humana. A procura está mais orientada para

Recuperação & Resiliência

Plano de Recuperação e Resiliência! Uau… Não sei quem é o autor deste superior título nem qual a intenção que suportou a criação do mesmo mas pelo menos resulta muito bem como acrónimo: PRR. “Pê-érre-i-érre” soa bem, não soa? Soa, embora a mim me faça lembrar os planos de poupança-reforma que instituições diversas tanto têm apregoado por esse país fora. Mas não, não se fala

Confinados… Mas Pouco!

Não confino porque tenho que ir para a faculdade. Não confino porque tenho de levar o filho mais velho à escola. Não confino porque tenho de levar o filho mais novo à creche. Não confino porque tenho de i​​​​​r trabalhar. Não confino porque tenho de comprar bens essenciais para o agregado familiar. Não confino porque tenho de comprar bens essenciais para os meus velhos pais,

Design Thinking: a inovação acessível a todos

A primeira vez que ouvi falar em design thinking foi provavelmente o ano passado, quando no meu antigo emprego, me foram dados a conhecer alguns programas de formação para executivos na área da inovação. Este tipo de conteúdos tem surgido um pouco por todo lado, sempre mais ligados às start-ups, à digitalização dos negócios e à inovação nas empresas. Ao início, parece ser tudo um

Quinoando…

Hoje decidi juntar-me às meninas, senhoras, mulheres e dondocas que dominam a blogosfera portuguesa pejando-a com artigos sobre culinária, gastronomia, maquilhagem, cabelos e penteados, roupas e vestes, decoração e, acima de tudo, trivialidades tentativamente tornadas filosofia sobre as suas próprias vidas. Em suma, decidi juntar-me a elas, ao invés de as enfrentar, e escrever sobre o quão bem eu, macho, cozinho. Enfrentar mulher não é

Fotografia: captando detalhes…

Normalmente, as pessoas querem ver o resultado final do processo artístico: uma performance, uma obra em exposição, uma peça de teatro… Mas aquilo que me gera mais curiosidade, na verdade, é perceber como os artistas – de vários meios – chegam ao resultado final. Acho que existe uma veia etnográfica também nesta atividade de fotografar e que já me carateriza noutros contextos: conhecer as pessoas,

Casamento é Dose -part4

Exato, é o meu quarto artigo sobre esta temática. Comecei a escrever sobre ela em 2007 e em inglês[1]. E agora, num estado que é o que não era então, o meu principal problema foi traduzir a expressão inglesa Marriage Sucks para português. Clara evidência da existência de “nuances” linguísticas que complicam amiúde o trabalho de tradução de quem tem que traduzir… O casamento é

1 2 3 8